Follow by Email

domingo, 26 de setembro de 2010

Ansiedade

Taquicardia...
Agonia...

Não entendo o mundo,
Suspiro profundo...
Tento entender,
Tento entreter!

Shirlei Marcelino

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Filhos do mundo

O Brasil é um país cujos impostos são uns dos mais caros do mundo. É rico em vegetação, tem um grande território, a agronomia desenvolve-se todos os dias, não faltam indústrias. Mas não é necessário andar muito para que vejamos crianças morando nas ruas. Filhos e filhas deste Brasil que vivem em situação de abandono largadas à própria sorte.
Passamos pelas ruas e vemos estes pequenos todos os dias, em suas faces a fome estampada, a desesperança e até mesmo a dignidade perdida. Em um país onde alguns têm mesa farta, onde há garotos que têm os brinquedos mais caros oferecidos pelo comércio, estes pobres meninos lutam por algo para forrar o pequenino estômago. Talvez eles brinquem com algum pedaço de sucata que encontram nas ruas, outras vezes talvez a fome não lhes dê vontade de brincar.
É difícil entender como chegamos a tal ponto, como a selva natural criada para todos os seres se tornou esta selva de pedras desigual e cruel, sem contar que na pré-história viver em cavernas parece muito mais confortável do que viver nas ruas com todos os seus perigos. Nesta sociedade que se considera tão evoluída, os que têm muito se vangloriam, os que têm mais ou menos disputam o seu lugar na sociedade e os que têm pouco se conformam, muitas vezes sem ter o conhecimento necessário para questionar sua própria existência.
O que podemos fazer para resolver tal problema? Temos que ter vergonha na cara! Vergonha na nossa cara por termos governantes tão inescrupulosos como a maioria que temos, vergonha por não cobrar nosso voto, que nos pedem em toda eleição mil promessas feitas com um sorriso falso em suas faces. A educação deveria ser prioridade de todo plano de governo, pois através dela que temos capacidade de lutar por nossos direitos. Estes pequenos filhos do mundo que se tornam filhos das ruas têm direito a uma moradia decente, todos temos. Este planeta foi feito para todos, é a nossa casa mãe-natureza, criada para o homem viver em paz. E o que podemos fazer de imediato? Não tratar esses pequenos como se fossem menos, como se fossem lixo, como se não merecessem ser tão felizes como nossos filhos.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Quero voltar pro meu planeta

Pai mande o disco voador
Cansei de viver na terra
Não aguento tanto horror.

Tem gente aqui pai
Que vive de fazer crueldade
Pisa no seu semelhante
Adora esta dor contrastante

Você me ama pai?
Mandou-me aqui pra essa terra
Pra ver a maldade desta era
E o que a humanidade faz

Quero voltar pro meu planeta
Quero esquecer este sofrimento
Quero partir e esquecer o tormento

Voltar pro meu mundo querido
Onde não existe nenhum inimigo
Que se respira o ar sem gemido

Da minha casa tenho saudades
Lembro-me de amigos e lealdades
Da natureza imaculada
Onde não existe gente maltratada

Neste planeta que eu era feliz
Leve-me de volta pai,
Faça-me feliz!

 Shirlei Marcelino


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Sem cores nem sentimentos

Uma selva de concreto
Foi aonde a humanidade chegou.
Sem cores nem sentimentos
Deixamos de viver puros momentos...

Desigualdades gritantes...
Injustiças frustrantes...
Alienação quase total...

Caminhamos não sei para aonde
Caminhamos sem saber para quê.
Um breve consolo material...

Talvez haja um dia,
Quando a selva destruir-se,
Quando a sociedade denegrir-se
O “Ser humano”
Volte a ser! Volte a sentir!

Desobstrua os poros do planeta,
Entenda que evolução
Não é a ilusão
De consumir o que não precisamos,
De rastejar atrás do que não alcançamos,
Fingindo estarmos contentes
Com coisas tão decadentes!


 Shirlei Marcelino

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Acrósticos

Risonho                          
Atento
Unico
Leal


Vívido
Inquieto
Carinhoso
Tocante!
Observável
Raridade


Antes
Não
Ser
Incapaz...
Entretanto,
Dúvidas
Acontecem
Durante
Emoções       


Shirlei Marcelino

A capacidade humana de comunicação

            O homem, diferente de outros animais, tem a capacidade de se expressar pela fala. Usa também da linguagem corporal como outros animais. Desde a pré-história os seres humanos, através das primeiras palavras e pela sua linguagem corporal, se comunicavam uns com os outros. Esta linguagem e a entonação de voz tornava mais fácil a comunicação.
            As entonações das palavras, às vezes em tom mais alto, às vezes em tom mais baixo, sendo de alegria ou de tristeza, de amor ou de ódio, deram início às próprias melodias musicais, pois através delas o homem mostrava seus sentimentos.
            É a capacidade de comunicação que faz os seres humanos diferentes dos outros animais. Os animais vivem em um meio ambiente sem ter noção de sua própria existência, não questionam o porquê das coisas. A comunicação entre os humanos na pré-história é que possibilitou a evolução de nossa espécie. A nossa consciência que se faz através do pensamento (que são elaborados com palavras) faz possível questionarmos nossa vida.
            Foi a comunicação entre nossa espécie que formou nossos sentimentos uns pelos outros. Como poderíamos amar sem nos comunicar? Gostar mais ou gostar menos de algo? Sentir saudades quando o outro vai embora? “Sentir”, “sentimento”, são palavras ligadas ao mundo do pensamento humano, que só é possível através do contato que temos uns com os outros e com o mundo a nossa volta. Se escrevo agora esse texto, é porque penso e sinto sobre o que já vi e li, é isso que nos torna tão especiais como seres humanos.

Shirlei Marcelino

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Quando sonhos são mais que sonhos

Sonhos são apenas sonhos
Quando não realizados,
Enquanto apenas sonhados

Sonhos podem ser mais,
Mas há necessidade
De fazê-los acontecer!
A luta diária por aquilo
Que acreditamos estar em nosso ser!

Sonhos nos dão alegria,
Enchem-nos a alma de euforia!
Mas para felicidade completa
Temos que admirá-los.
Temos que realizá-los.

Sonhos são frutos da inquietação
De quem não tem limites na imaginação!
Então cabeça nas nuvens,
E os pés? Ah, esses no chão!

Shirlei Marcelino

As portas

Escolher as portas
Algumas certas, algumas erradas...
Do mundo não tenho certezas
Talvez dúvidas...

São tantas portas...
É triste deixar algumas fechadas.
Mais triste pensar nas que não entrei...
Difícil imaginar aquelas que deixei!

São tantas possibilidades,
Tantas possíveis verdades.
Algumas tentativas de enxergar
As várias realidades.

As portas bem a nossa frente.
Escolhas a fazer.
Entradas em realidades.
Possíveis de acontecer.

Shirlei Marcelino

O que é ser Gente

Nessa linda manhã de outono
Quando as folhas rolam no chão
Esqueça o mundo que te condiciona
E ouça a voz do seu coração!

Deixe entrar o amor profundo
O amor da mãe natureza!
E não se esqueça que antes da cruz
Ela já nos iluminava com a sua pureza!

Esqueça tudo que aprendeu!
Faça de conta que já esqueceu!

E quando a noite chegar com beleza
A beleza da mãe, com sua grandeza!
Olhe pro céu e veja uma estrela
Pense que você pode ir lá conhecê-la!

Se achar muito difícil,
Lembre-se que há muito tempo
Numa natureza sem preocupações
Nós vivíamos,

Que naquele tempo
Coisas puras aprendíamos
Que cuidávamos uns dos outros,
E não nos arrependíamos!

Que a humanidade
Amava por amar!
E que foi o tempo que o dinheiro
Nada podia comprar!

Então caro amigo,
Não se esqueça
Que dessa vida de
Nada temos certeza!

Descondicione-se
Para tentar enxergar
Que nunca é tarde demais,
Para pura natureza amar! 

Esqueça tudo que lhe foi imposto!
Olhe ao redor e sinta outro gosto!

Lave a sua alma...
Liberte-se com calma...
E então sinta em sua mente...
O que é ser gente!


Shirlei Marcelino